....... ...... ...... ..... As Boas vindas a todos os bichos do P@nt@no ....... ...... ...... .....

24/08/2014

Veneno ...

Deixo o veneno percorrer o meu corpo, pois só assim sinto o leve sopro de vida que me atinge antes de me perder na penumbra da eternidade. O que fui, agora não tem mais importância e o que serei não tem razão de existir, na escuridão mergulhado já há tanto tempo o meu ser não sabe o que é viver.

O bater do coração deu lugar a um silêncio mórbido e frio, que parece dilacerar cada réstia de vida em mim, não sinto nada e finalmente posso descansar ... Sem nada pelo que lutar e com a raiva a dominar os meus gestos e dia a dia tudo parece alheio e sem nada que ligue a mim.
Como eu te odeio, a tua imagem reflectida no espelho apenas me faz desprezar-te ao ponto de te querer ver desaparecer, definhando essa alma até nada mais restar.
O azedo trago do veneno, é o adocicado sabor da minha vitória sobre ti …
JAN14